Pular para o conteúdo

Filmes selecionados Filmes selecionados

LONGAS-METRAGENS
 
 
Marés, 84 min, ficção, 14 anos, 2018
 
Direção: João Paulo Procópio
Elenco: Lourinelson Vladmir, Julieta Zarza, Sérgio Sartório, Fernanda Rocha, Vinícius Ferreira, Bianca Terraza e Camila Guerra
Produção executiva: Camila Ciolin e Mateus de Medeiros
Roteiro: João Paulo Procópio
Fotografia: André Lavenere
Montagem: Zepedro Gollo
Direção de arte: Maíra Carvalho
Edição de som: Olívia Hernandez Fernandez
Trilha sonora: Sascha Kratzer
Produtora: Pavirada Filmes
 
Marés marca a estreia de João Paulo Procópio na direção de longa-metragem. Sócio da produtora Pavirada Filmes, dentre várias experiências no audiovisual do DF, o cineasta assina a produção executiva e montagem do curta Rosinha (de Gui Campos), vencedor do Troféu Câmara Legislativa em 2016; a montagem do longa-metragem O Último Cine Drive-In (de Iberê Carvalho), vencedor do Prêmio Netflix 2016; e assina a produção executiva do documentário musical Mobília em Casa – Móveis Coloniais de Acaju e a Cidade (de José Eduardo Belmonte). Assina a coprodução do longa O Fim e os Meios, de Murilo Salles, filmado no DF, e a direção dos curtas Colher de Chá e Brasília (Título Provisório), vencedor do candango de melhor curta pelo crivo do júri popular no 41º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
 
Sinopse: Recém-separado, Valdo se vê desafiado a encarar o alcoolismo a fim de não perder a guarda da filha.
 
 
New Life S/A, 78 min, ficção, 14 anos, 2018
 
Direção: André Carvalheira
Elenco: Renan Rovida, Wellington Abreu e Murilo Grossi
Produção executiva: Alisson Machado
Roteiro: Aurélio Aragão
Fotografia: Krishna Schmidt
Montagem: Marcius Barbieri
Direção de arte: Maíra Carvalho
Edição de som: Olívia Hernandez
Trilha sonora: Luiz Olivieri
Produtora: Machado Filmes
 
André Carvalheira iniciou no cinema em 1996 como assistente de câmera. Atua no audiovisual como diretor e diretor de fotografia. Formou-se em cinema pela ESEC – Paris, França (Escola Superior de Estudos Cinematográficos) e titulou-se mestre em cinema pela Universidade de Brasília. Foi responsável pela fotografia de curtas, longas-metragens, séries e documentários para TV. Dirigiu os curtas-metragens A Dança da Espera, Dia de Folga, Instante, Um Certo Esquecimento e Toda Brisa, premiado na oitava edição do Troféu Câmara Legislativa do DF.
 
Sinopse: Augusto é um jovem arquiteto bem-sucedido que planejou um grande condomínio em Brasília onde seus habitantes viveriam uma nova vida. Um condomínio com as virtudes de um homem novo, uma sociedade nova. O New Life não é apenas um condomínio, mas uma nova forma de se viver. Mas a utopia de Augusto se choca com a realidade ao seu redor.
 
 
O Outro Lado da Memória, 110 min, documentário, 10 anos, 2018
 
Direção: André Luiz Oliveira
Produção executiva: Guilherme Fornazier, Caetano Curi e Beth Curi
Roteiro: André Luiz Oliveira
Fotografia: Luís Abramo
Montagem: Zepedro Gollo e André Luiz Oliveira
Direção de arte: Moacyr Gramacho
Edição de som: Dirceu Lustosa
Trilha sonora: Vinícius Jibhajan
Produtora: Asacine Produções
 
André Luiz Oliveira iniciou carreira na Bahia, em 1967, com o curta-metragem Doce Amargo. No ano seguinte, escreve e dirige o longa-metragem Meteorango Kid, o Herói Intergalático. No 5º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, Meteorango obtém prêmio especial do júri, do júri popular e Margarida de Prata, oferecido pela CNBB. Em 1974, realiza A Lenda de Ubirajara, vencedor dos prêmios de melhor roteiro e especial do júri no 8º Festival de Brasília. Em 1994, com Louco por Cinema recebe oito prêmios no 28º Festival de Brasília, inclusive melhor filme. Em 2008, finaliza o longa Sagrado Segredo. Em 2010/2012, os documentários de média-metragem Cozinheiro do Tempo – Bené Fonteles e Exu Iluminado – Mário Cravo. Em 2015, dirigiu o filme Zirig Dum – A Arte e o Sonho de Renato Matos que recebeu o Troféu Câmara Legislativa do DF na categoria melhor longa, escolhido pelo júri popular.
 
Sinopse: Documentário com cenas de ficção sobre a tentativa de realização do filme Viva o Povo Brasileiro, adaptação do romance homônimo do escritor João Ubaldo Ribeiro. O filme revela o trabalho realizado pelos produtores, diretor/roteirista André Luiz Oliveira e enorme equipe, ao longo de quase uma década (1996 a 2005) de preparação do épico até a sua dramática interrupção semanas antes do início das filmagens. É o próprio diretor quem conduz o documentário ao mergulhar no passado em busca de possíveis causas que impediram a realização do filme. Nesse percurso investigativo/poético/emocional, descobre que as raízes do seu envolvimento com o projeto original são muito mais profundas do que supunha.
 
 
CURTAS-METRAGENS
 
 
A Roda da Fortuna, 13 min, ficção, 10 anos, 2018
 
Direção: Luciano Porto
Elenco: José Delvinei Santos, Fernanda Rocha e Chico Sant'Anna
Produção executiva: João Paulo Procópio
Roteiro: Luciano Porto
Fotografia: André Lavenere
Montagem: João Paulo Procópio
Edição de som: Rafael Maklon, Marcos Manna e Sascha Kratzer
Direção de arte: Daniel Banda
Trilha sonora: Sascha Kratzer e Rafael Maklon
Produtoras: Pavirada Filmes, Udigrudi Filmes, Borafazer Filmes, Dharma Filmes e Kinetic X.
 
Luciano Porto é ator, músico e palhaço, trabalha com diversos grupos e diretores, principalmente, no Distrito Federal. Um dos fundadores do Circo Teatro Udigrudi, companhia fundada em 1982, que já percorreu 16 países, com prêmios como o Herald's Angel Award/2000 no Festival de Edimburgo, na Escócia, e o Prêmio Villanueva/2008, em Cuba.
 
Sinopse: Uma estrada deserta, um grave acidente, você só tem uma chance de provar quem realmente é.
 
 
Brasilha, 3min, ficção, livre, 2018
 
Direção: Rafael Morbeck
Elenco: Paulo Ribeiro e Alexandre Lino
Produção executiva: Paulo Ribeiro
Roteiro: Verônica Struddel e Alexandre Arbex Valadares
Fotografia: Rafael Morbeck
Montagem: Alanna Alves
Edição de som: Bruno Sant'Anna  
Direção de arte: Chico Sassi
Trilha sonora: Rafael Morbeck
Produtora: Coletivo Janela55, coordenado por Paulo Ribeiro
 
Rafel Morbeck é diretor de fotografia da trilogia Renascimento do Parto, de Eduardo Chauvet, e do documentário Operários da Bola, de Virna Smith, além de 15 curtas-metragens e mais de duas dezenas de outras obras audiovisuais, entre videoclipes e institucionais. Acumula, ainda, diversas outras funções, como diretor, editor, colorista e finalizador, além de estar à frente da produtora Merun Filmes, fundada em 2013.
 
Sinopse: Dois pedestres passam pelas ruas de Brasília e se cruzam sempre no mesmo local, numa das quadras residenciais do Plano Piloto. Um deles, recém-chegado à cidade, resolve interceptar o outro e buscar aprofundar o relacionamento. Estranhando um pouco o approach, o outro, sempre com pressa, tenta se desvencilhar o quanto antes para seguir seu rumo. Diante da insistência do recém-chegado, ele se vê obrigado a demonstrar acolhimento. Por um instante.
 
 
Entre Parentes, 27 min, documentário, livre, 2018
 
Direção: Tiago de Aragão
Produção executiva: Ana Paula Rabelo
Roteiro: Tiago de Aragão
Fotografia: Alan Schvarsberg
Montagem: Guile Martins
Edição de som: Camila Machado 
Produtora: Sal
Coprodutora: Comova
 
Tiago de Aragão é diretor e pesquisador cinematográfico. Sua estreia na direção se deu com o curta-metragem ficcional Da Maior Importância (2011). Em seguida, dirigiu o curta documentário Curió (2014).
 
Sinopse: Um ano após o impeachment presidencial, Brasília recebe a maior mobilização indígena durante a 14ª edição do Acampamento Terra Livre, no final de abril. Enquanto isso, na mesma Esplanada dos Ministérios que abriga barracas de povos indígenas de todo o Brasil, parlamentares articulam uma agenda de retrocessos à causa indígena. Os parentes não deixarão de lutar.
 
 
 
Monstros, 15 min, ficção, 12 anos, 2018
 
Direção: Douro Moura
Elenco: Cibele Amaral, Rômulo Augusto, Nathalia Schuller
Produção executiva: João de Castro
Roteiro: Douro Moura
Fotografia: Daniel Basil
Montagem: Douro Moura
Edição de som: Rafael Maklon     
Direção de arte: Mayara Machado
Trilha sonora: Sascha Kratzer
Produtora: Trupe do Filme
 
Diretor e roteirista pernambucano, radicado em Brasília desde 1976, Douro Moura é realizador de programas, filmes, séries e documentários para canais de televisão nacionais e internacionais, como Discovery Chanel, Disney Chanel, NatGeo, Fox e Rede Bandeirantes. Recebeu o Troféu Câmara Legislativa do DF pelo curta Mamãe tá na Geladeira (2005).
 
Sinopse: Uma terapeuta precisa ajudar uma pequena criança que sofreu um trauma inimaginável.
 
 
O Mistério da Carne, 18 min, ficção, 16 anos, 2018
 
Direção: Rafaela Camelo
Elenco: Bianca Terraza, Pâmela Germano, Gleide Firmino e André Araújo
Produção executiva: Daniela Marinho
Roteiro: Rafaela Camelo
Fotografia: Leonardo Feliciano
Montagem: Rafaela Camelo
Edição de som: Helena Rosa Duarte
Direção de arte: Carol Mariko
Trilha sonora: Eduardo Canavezes
Produtora: Apoteótica Cinematográfica
 
Rafaela Camelo é diretora e roteirista formada em Audiovisual pela Universidade de Brasília (UnB). Realizou o curta A Arte de Andar pelas Ruas de Brasília (2011), exibido e premiado em diversos festivais, inclusive com o Troféu Câmara Legislativa do DF.
 
Sinopse: Abençoado seja o domingo que é dia de encontrar Giovana.
 
 
Para Minha Gata Mieze, 25min, ficção, 16 anos, 2018
 
Direção: Wesley Gondim
Elenco: João Campos, Sérgio Sartório e André Araújo
Produção executiva: Wesley Gondim e Vanessa Medrado
Roteiro: Wesley Gondim
Fotografia: Dani Azul
Montagem: Cleber Martins
Edição de som: Cleber Martins
Direção de arte: Carmem San Thiago
Trilha sonora: Munha da 7 e Lupa Marques
Produtora: Roman Filmes
 
Wesley Gondim escreveu e dirigiu os curtas-metragens de ficção Lugar de Gente Feliz e Como se Voasse para Casa, licenciado pelo canal holandês OUT TV para exibição na Europa e Canadá, a partir de janeiro de 2016, e selecionado para concorrer, entre outros festivais nacionais e internacionais, ao Troféu Câmara Legislativa do DF na Mostra Brasília do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Lugar de Gente Feliz ganhou menção honrosa no Festival Morcego Vermelho, em Goiânia (2017). Escreveu e dirigiu os curtas documentários Marias, licenciado para exibição e vencedor do primeiro concurso de Doc da TV Justiça, e Berço das Águas, que recebeu o prêmio CiaRio 2016 como melhor curta-metragem no festival Ecocine (2016). Em 2018, filma o primeiro longa, Afeminadas.
 
Sinopse: Francisco, um jovem veterinário, em suas horas vagas cuida de gatos de rua abandonados. Um dia Francisco é perseguido por homofóbicos...
 
 
A Praga do Cinema Brasileiro, 26 min, ficção, livre, 2018
 
Direção: William Alves e Zefel Coff
Elenco: José Mojica, o Zé do Caixão
Produção executiva: William Alves
Roteiro: William Alves e Zefel Coff
Fotografia: Maninho Ferreira
Montagem: Zefel Coff
Edição de som: Zefel Coff
Direção de arte: William Alves
Trilha sonora: Zefel Coff
Produtora: Karibu Cinema
 
William Alves e Zefel Coff trabalham juntos com a Karibu Cinema há mais de 10 anos. Entre os projetos mais importantes realizados estão: Teodoro Freire – o Guardião do Rito, dirigido por William Alves e Noga Ribeiro, e Sagrada Terra Especulada, dirigido por Zefel Coff e Zé Furtado.
 
Sinopse: Com a pedra da 3ª força, Zé do Caixão retorna ao passado na virada do milênio, no dia 2/2/2000 com a função de reverter, com uma praga, o terror político instituído no Brasil pelo CAPETAL e seus canalhas CAPETALISTAS, todos infiltrados nos setores estratégicos da política, da economia e, principalmente, da cultura. Isso arrastou o país para o 5º dos infernos com as bênçãos dos boizebus, das diabas e dos satanazes dos 3 poderes. Somente Zé do Caixão é capaz de abrir o portal dos infernos do passado e resgatar o poder dos antigos filmes sequestrados pelo CAPETAL. Estes filmes trarão a luz, a força e as palavras dos profetas que viram o futuro no presente, mas que haviam sido silenciados pelo poder do CAPETAL.
 
 
 
Cabeças, 9 min, ficção, livre, 2017
 
Direção: Bruna Carolli
Elenco: Elis Evangelista Abreu
Produção executiva: Renato Marques
Roteiro: Bruna Carolli
Fotografia: André Carvalheira
Montagem: Marcius Barbieri
Edição de som: Sascha Kratzer, Rafael Maklon – Astrals Music Production
Direção de arte: Nadine Diel
Trilha sonora: Passo Largo
Produtora: TMTA Comunicação, Start Filmes e Girassol Azul Filmes
 
Bruna Carolli atua com direção e produção de conteúdo audiovisual. Mestre em Comunicação e especialista em Artes Visuais, a realizadora reúne em seus trabalhos propostas de uma realidade fantástica aliada à narrativa cinematográfica.
 
Sinopse: Maria é uma pequena princesa que tenta desvendar o segredo para salvar as estrelinhas do céu. Em seu caminho, ela encontra seres mágicos escondidos no coração da floresta, os únicos capazes de ajudá-la em sua missão.
 
 
Casa de Praia, 16 min, ficção, livre, 2018
 
Direção: Duda Affonso
Elenco: Gabriela Correa, Deni Moreira, Fernanda Alpino, Tita Mélo, João Quinto e Pamela Germano
Produção executiva: Mateus de Medeiros
Roteiro: Duda Affonso
Fotografia: Antoine Sonnery
Montagem: Luiza Rossi
Edição de som: Ramiro Galas
Direção de arte: Marcus Takatsuka
Trilha sonora: Ramiro Galas
Produtora: Ela Faz Cinema
 
Duda Affonso, cineasta, fotógrafa e artista visual, graduada em Cinema em Brasília, estudou fotografia na New York Film Academy. Realizou trabalhos como diretora de fotografia e fotógrafa still, tornando-se, depois, roteirista e diretora. Cursa o Mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas na Universidade do Porto, Portugal. Entre as exposições mais recentes estão a coletiva Tiro no Espaço (Braga, Portugal, 2016), e a Aresta do Mundo (Porto, 2017), em parceria com a artista Thais Graciotti. Teve o curta-metragem Casa de Vidro exibido no Festival Speisekino Moabit (Berlin, 2017).
 
Sinopse: Brasília é um deserto. O calor, o ócio e a melancolia, próprios de sua juventude, tomam conta da cidade vazia. Mazé acorda num lugar estranho em um futuro que poderia ser amanhã ou um dia que poderia nunca ter existido. Ela é convidada a ir à praia. E vai.
 
 
Sinucada, 16 min, ficção, 14 anos, 2018
 
Direção: Rafael Stadniki
Elenco: Paulo Igor Freitas, Sandra Silva, Ady Estellita e Matheus Maia
Produção executiva: Evelyn Santos
Roteiro: Jota Pe Corvuja
Fotografia: Arthur Menezes e Felipe Alves
Montagem: Rafael Stadniki
Edição de som: Gabriel Pimentel  
Direção de arte: Isabella Costa, Vinicius Vinhal, Daniel Sousa, Evelyn Santos
Produtora: Trupe do Filme
 
Rafael Stadniki, estudante de Comunicação Social na UnB, faz vídeos desde os 12 anos de idade e conta com mais de 10 curtas-metragens na carreira. Habilitado para Morrer, foi selecionado por diversos festivais no país e concorreu ao Troféu Câmara Legislativa do DF na Mostra Brasília do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Rafael foi, também, editor e animador da empresa júnior Pupila Audiovisual e trabalha com pós-produção na Fabrika Filmes. Sinucada foi produzido com estudantes da UnB em parceria com a produtora Trupe do Filme.
 
Sinopse: Dois calouros da Universidade de Brasília, Kevin e Rafael, são desafiados por seus veteranos e devem escolher entre serem expulsos do tradicional Centro Acadêmico Casinu ou juntar forças para enfrentar a maior provação de suas vidas: um duelo de sinuca épico e nada convencional.
 
 
 
In Memoriam, 24 min, ficção, 12 anos, 2018
 
Direção: Gustavo Fontele Dourado e Thiago Campelo
Elenco: Léo Thilé, Uriel Martínez, Lino Ribeiro e Mel Carneiro
Produção executiva: Gustavo Fontele Dourado, Lorena Figueiredo e Thiago Campelo
Roteiro: Gustavo Fontele Dourado e Thiago Campelo
Fotografia: Petronio Neto
Montagem: Gyancarlo Francischeto
Edição de som: Ícaro Sousa
Direção de arte: Catarina Ribeiro e Ká Maroli
Trilha sonora: Tássio Caetano
Produtora: Foca Filmes e Correnteza Filmes
 
Gustavo Fontele cursou Cinema no IESB, Antropologia na UnB e Computação Gráfica na Saga. In Memoriam é o seu primeiro curta-metragem como diretor. Atuou como produtor-executivo, produtor e editor de diversos filmes do Distrito Federal, entre eles, a série Antena da Raça, de Paloma Rocha; o longa documental No Rastro das Cargueiras; o curta Paredes Clandestinas. Editou filmes publicitários e o DVD de Marlene Sousa, pela WA Records. Também trabalha com literatura, fez produção executiva do livro Versos que me habitam (Confraria do Vento-RJ) e a Web HQ Ciça - A Menina Saci (FAC-DF).
 
Thiago Campelo é roteirista, fotógrafo e diretor, formado em Comunicação Social –Audiovisual pela UnB, fundou e atuou como editor e crítico cinematográfico do site Não São as Imagens. Escreveu e dirigiu Paspalhos, curta-metragem independente, e atuou como diretor de fotografia do minidocumentário Ah, branco! Dá um tempo!
 
Sinopse: Inseridos em um mundo fatigado por uma epidemia misteriosa e que também leva ao limite o consumo midiático de obituários, os desconhecidos Verônica e Alberto vagam pela cidade morta para relembrar o seu amigo Celso.
 
 
O Homem Banco, 11 min, ficção, 12 anos, 2017
 
Direção: Cícero Fraga
Elenco: Daniel Lacourt, Maíra Moraes, Vini Martins e Julia Henning
Produção executiva: Silvio Cohen
Roteiro: Cícero Fraga
Fotografia: Alan Schvarsberg
Montagem: Cícero Fraga
Edição de som: Tchango Onanga
Direção de arte: Bruna Daibert
Trilha sonora: Glue Trip
Produtora: Comova
 
Cícero Fraga é diretor de curtas e videoclipes. Foi vencedor da Mostra Decibéis no Festival de Curtas de Brasília com Boca da Terra, do grupo Sacassaia. Exibiu o curta O Homem Banco em países como Áustria, Portugal, Romênia e Venezuela, entre outros. Atualmente, prepara o primeiro longa-metragem Gradear, com codireção de Alan Schvarsberg.
 
Sinopse: Curta performático que mostra como, pouco a pouco, um rapaz abre mão da convivência social e das relações interpessoais para se tornar apenas um objeto: um banco de madeira. Unindo linguagem cinematográfica e dança, o filme é um experimento que coloca o movimento dos corpos e as coisas do cotidiano em primeiro plano.
 
 
Noroeste, 13 min, documentário, 10 anos, 2018
 
Direção: Lucas Ferreira Gesser
Produção executiva: Lucas Ferreira Gesser
Roteiro: Lucas Ferreira Gesser e Vinícius Januzzi
Fotografia: Petronio Neto
Montagem: Isabelle Araújo
Edição de som: Henrique Vieira
Produtora: Levante Filmes
 
Lucas Ferreira Gesser é graduado em Comunicação Social com habilitação em Audiovisual pela Universidade de Brasília. É sócio-fundador da Levante Filmes e trabalha no mercado audiovisual como diretor, roteirista, diretor de fotografia e colorista. Além disso, atua como professor, ministrando cursos, workshops, palestras e produzindo conteúdo educativo sobre audiovisual em diversos formatos.
 
Sinopse: Mais um dia no metro quadrado mais caro de Brasília.
 
 
Terras Brasileiras, 29 min, documentário, 12 anos, 2017
 
Direção: Dulce Queiroz
Produção executiva: Getsemane Silva
Roteiro: Dulce Queiroz
Fotografia: Cícero Bezerra
Montagem: Guem Takenouchi
Edição de som: Guem Takenouchi
Direção de arte: Pedro Mafra
Trilha sonora: Alberto Valério, Sascha Kratzer, Rafael Maklon e Eurípedes Martins
Produtora: TV Câmara
 
Dulce Queiroz dirigiu e roteirizou vários documentários, entre eles Raça Humana, ganhador do 32º Prêmio Vladimir Herzog (melhor documentário) e finalista do Prêmio Abdias Nascimento (2011); e Chico Mendes, Cartas da Floresta, premiado como melhor documentário de média-metragem no 4º Fricine e menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos (2009). Coordenou a produção de séries para TV, como Índios, 500 Anos de Resistência, considerada a melhor reportagem de televisão pelo prêmio Vladimir Herzog (2005). O filme Terras Brasileiras recebeu, em 2018, dois prêmios no Festival Guarnicê, em São Luís (MA): melhor filme (júri popular) e menção honrosa (júri oficial). Também foi exibido em sessão especial em Bruxelas (Bélgica), em 2017.
 
Sinopse: No Mato Grosso do Sul, quase fronteira com o Paraguai, indígenas e produtores rurais disputam a posse da terra. Num clima tenso, sobram confrontos, despejos, ataques e até mortes. O conflito vem de séculos, provocado por erros do próprio Estado brasileiro. Agora, os dois lados exigem solução urgente. A disputa já se transforma numa tragédia de grandes proporções.
 
 
À Tona, 14 min, documentário, 14 anos, 2018
 
Direção: Daniella Cronemberger
Foto: Divulgação
Elenco: Tainá Cary
Produção executiva: Getsemane Silva
Roteiro: Daniella Cronemberger e Maíra Brito
Fotografia: Dani Azul
Montagem: Sergio Azevedo
Edição de som: Maurício Fonteles
Direção de arte: Cissa Saraiva
Trilha sonora: Décio Gorini
Produtora: Olho de Gato Filmes
 
Daniella Cronemberger é graduada em Jornalismo pela UnB. Dirigiu e co-roteirizou o curta-metragem Em Defesa de Brasília, sobre homofobia no Congresso Nacional, que ganhou prêmios em festivais de Brasília, Rio de Janeiro, Pernambuco e na Grécia.
 
Sinopse: Uma mulher percorre seu passado e, aos poucos, ela consegue lembrar do que aconteceu.
 
 
Presos que Menstruam, 20 min, ficção, 18 anos, 2018
 
Direção: Alisson Sbrana
Foto: Januário Jr.
Elenco: Naiara Lira, Larissa Mauro, Tatiana Bitar, Márcia Costa, Kamala Ramers e Anna Marques.
Produção executiva: Liana Farias
Roteiro: Nana Queiroz, Alisson Sbrana e Lídia Oyo
Fotografia: Dani Azul
Montagem: Victor Kitamoto
Edição de som: Guilherme Negrão
Direção de arte: Nadine Diel
Trilha sonora: Guilherme Negrão

Produtora: OF Produção Cultural

Alisson Sbrana é jornalista e cineasta. Realizou o curta-metragem Profana Via Sacra, premiado em três festivais no Brasil entre 2010 e 2011, inclusive com o Troféu Câmara Legislativa do DF de melhor curta-metragem 35mm, na Mostra Brasília do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. É realizador de videoclipes, documentários e webséries de bastidores. Produziu os dois primeiros videoclipes oficias da banda Sambô, além de documentar a turnê da banda nos Estados Unidos (2015).
 
Sinopse: Em um ambiente preparado para homens, mulheres são enquadradas nas estruturas impostas pelo sistema. Presos que menstruam conta a história de Gardênia, uma traficante enlouquecida pela vida e pelas drogas, que entra em trabalho de parto na cadeia.
 
 
Me Deixe Não Ser, 20 min, ficção, 12 anos, 2018
 
Direção: Kleber Macedo
Foto: Alessandro Dias
Elenco: Bernardo Felinto e Carol Monte Rosa
Produção executiva: Bernardo Felinto
Roteiro: Bernardo Felinto
Fotografia: Kleber Macedo
Montagem: Kleber Macedo
Edição de som: Kleber Macedo
Direção de arte: Kleber Macedo
Trilha sonora: Kleber Macedo
Produtora: Taxi Produção e Comunicação
 
Kleber Macedo é produtor audiovisual. Passou uma década trabalhando na produção de conteúdo e iniciou a carreira no cinema em 2018.
 
Sinopse: Escritor que precisa finalizar uma obra conhece uma pessoa que muda completamente sua vida.
 
 
Riscados pela Memória, 20 min, ficção, 10 anos, 2018
 
Direção: Alex Vidigal
Elenco: Antonio Pitanga, Gabrielle Lopes, Sergio Sartório e Isabella Ferrari
Produção executiva: Alisson Machado
Roteiro: Alex Vidigal
Fotografia: André Carvalheira
Montagem: Rafael Lobo
Edição de som: Olivia Hernandez
Direção de arte: Daniel Banda
Trilha sonora: Decio Gorini
Produtora: Machado Filmes
 
Alex Vidigal é mestre em Imagem e Som pela UnB e videomaker, com vários trabalhos de ficção, documentários, videoclipes e institucional, experimentações em vídeos para internet, como É Nóis – A Série. Seu primeiro curta-metragem, O Filho do Vizinho, foi premiado e foi exibido em festivais nacionais e internacionais.
 
Sinopse: Dono de um sebo de discos, em meio a uma compra de LPs de segunda mão, se depara com algo que vai muito além de uma aquisição trivial.
Documentos
Não há documentos nesta pasta.
Nome Tamanho
Não há documentos nesta pasta.
Mostrando 0 resultados.