Últimas Notícias Últimas Notícias

« Voltar

Julio Cesar critica descaso do governo com estudantes de enfermagem da UnB

Julio Cesar critica descaso do governo com estudantes de enfermagem da UnB

Seg, 10 Set 2018 15:18

Julio Cesar critica descaso do governo com estudantes de enfermagem da UnB

Julio Cesar critica descaso do governo com estudantes de enfermagem da UnB

O deputado Julio Cesar (PRB) criticou a falta de interesse da Secretaria de Saúde com estudantes de enfermagem da Universidade de Brasília (UnB) que necessitam do estágio obrigatório durante a reunião da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) na manhã desta terça-feira (4). Segundo Julio Cesar, o secretário-adjunto de Saúde, Marcus Vinícius Quito, prometeu, na semana passada, que ninguém ficaria sem estágio e, para isso, ele tomaria providências até o final de agosto. No entanto, até o momento, o problema não foi resolvido. "Se ele não dá resposta para um deputado, quanto mais à população", afirmou.

Estudantes de enfermagem da UnB vieram a CLDF, na última terça-feira (28), em busca de apoio para a realização de estágio obrigatório. Eles alegaram demora na entrega dos crachás pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS), sem os quais não é possível participar do estágio. O deputado Julio Cesar levou, então, o pleito dos estudantes ao secretário de Saúde, Humberto Fonseca, que participava de audiência pública da Comissão de Fiscalização, Governança, Transparência e Controle (CFGTC).

Estágio - Para a entrega dos crachás, o edital da FEPECS exige a documentação completa de todos alunos. Caso faltem documentos de um único estudante, o processo de todos os alunos é devolvido à UnB. A fim de diminuir o transtorno, o Centro Acadêmico de Enfermagem (CAENF) e os docentes do departamento montaram uma comissão para organizar os documentos antes da data do edital.

Neste semestre, mesmo com as documentações em dia, a FEPECS não entregou os crachás aos alunos. Segundo a presidente do centro acadêmico, Hannah Gabrielle, a fundação alegou falta de pessoal para analisar os documentos e pediu um prazo de 45 dias para solucionar o problema, mas os estudantes argumentam que este prazo inviabiliza a realização do estágio.

Durante o estágio obrigatório, cada estagiário passa por várias unidades de saúde determinadas pela FEPECS. Se o estudante perder o período de alguma unidade, não há possibilidade de reposição devido à incompatibilidade com o calendário universitário.

Karine Teles (Estagiária)
Foto: Rinaldo Morelli/CLDF
Comunicação Social - Câmara Legislativa