Últimas Notícias Últimas Notícias

« Voltar

Discursos sobre educação e saúde marcam a última sessão do semestre

Discursos sobre educação e saúde marcam a última sessão do semestre

Qui, 27 Jun 2019 18:23

Discursos sobre educação e saúde marcam a última sessão do semestre

Discursos sobre educação e saúde marcam a última sessão do semestre

Na sessão da Câmara Legislativa desta quinta-feira (27) – um dia depois da votação de mais de 40 proposições, incluindo o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020 –, alguns parlamentares fizeram questão de ir à tribuna tratar de questões que afetam o Distrito Federal. Educação e saúde dominaram os pronunciamentos. Foi a última sessão ordinária do semestre, a próxima ocorre no dia 1º de agosto.

O deputado Leandro Grass (Rede) discursou por mais investimentos em educação. "Não existe desenvolvimento econômico e sustentável sem educação", defendeu. Conforme relatou, a área enfrenta problemas antigos: "Problemas de zelo, de cuidado com a escola do ponto de vista estrutural, de falta de condições para os professores".

O distrital apontou, ainda, desafios para a formação continuada dos professores, a inovação no ensino e a redução dos altos índices de evasão escolar, e cobrou a execução do orçamento e dos recursos destinados por meio de emendas parlamentares para a pasta. "O governo precisa executar; assim posso dizer, de fato, que ele tem compromisso com a educação, que tem de ser prioridade", pontuou.

Grass aproveitou para informar que a Casa vai sediar, no dia 2 de agosto, o 1º Encontro de Práticas Inovadoras da Educação Pública. O evento vai reunir professores que desenvolvem projetos em escolas públicas, estudantes e representantes da Secretaria de Educação. O objetivo é estimular o intercâmbio de ideias e a replicação das iniciativas. O evento vai acontecer no plenário da CLDF, a partir das 15h.

Saúde – O deputado Chico Vigilante (PT) denunciou que o Instituto Hospital de Base tem priorizado a realização de cirurgias de tumores benignos – menos urgentes e, geralmente, mais simples – em detrimento dos malignos. "Isso para dar volume e dizer para a imprensa que estão fazendo muitas operações", criticou. Segundo o distrital, a informação foi dada por pessoa que trabalha na própria entidade. "A seleção não está sendo feita de acordo com a gravidade; enquanto isso, há uma fila enorme de pessoas com câncer esperando", lamentou.

"O filho da minha secretária tem um câncer absurdamente invasivo e está nessa situação, à espera para ser operado no Hospital de Base", contou Arlete Sampaio (PT). A parlamentar classificou o caso como um exemplo da "desumanização da saúde pública do DF".

Os distritais abordaram, ainda, outros assuntos em plenário, a exemplo da precariedade dos sistemas penitenciário e socioeducativo. Fábio Felix (PSol) reclamou da situação das unidades de internação: "Estão depredadas e acabadas, e faltam servidores, tanto agentes como especialistas". O distrital cobrou um projeto político-pedagógico que preserve os direitos dos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. De acordo com ele, há cerca de 800 adolescentes em privação de liberdade e 3 mil em liberdade assistida no DF.

Denise Caputo
Fotos: Carlos Gandra/CLDF
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa