Notícias Notícias

« Voltar

Presidente da Caesb esclarece o uso de hipoclorito vencido na água

Presidente da Caesb esclarece o uso de hipoclorito vencido na água

Qui, 27 Out 2016 13:42

A Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo (CDESCTMAT) da Câmara Legislativa ouviu na manhã dessa quinta-feira (27) o presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), Maurício Luduvice. O presidente prestou esclarecimentos sobre a denúncia de que a Caesb teria utilizado hipoclorito de sódio vencido na água consumida pelos moradores de Paranoá e do Itapoã.

Maurício Luduvice iniciou os esclarecimentos explicando a utilização do hipoclorito de sódio: "Estamos falando do desinfetante a base de cloro que tem a finalidade exclusiva de fazer a desinfecção da água antes de ser distribuída para a população". O hipoclorito depois da degradação forma cloreto de sódio, clorato de sódio e oxigênio, "nenhum desses gases é prejudicial à saúde da população", completou Luduvice.

Segundo Maurício, a data de validade é um parâmetro analisado pelo mercado, mas uma vez que a Companhia tem uma equipe de técnicos gabaritados que avaliem este produto e sua capacidade de ação mesmo que fora da data é possível fazer a utilização. Luduvice apresentou laudos assinados por técnicos e engenheiros que asseguravam a integridade do hipoclorito de sódio.  "A uso do produto teve anuência da direção e corpo técnico da Caesb, não existiu nenhuma perda das substâncias e nem reagentes", explicou o presidente.

O parlamentar presidente desta comissão, Cristiano Araújo (PSD), alegou satisfação por parte dos membros do colegiado presentes quanto a apresentação dos relatórios e análises técnicas expostas por Maurício Luduvice. "Os laudos são embasados com vistas de engenheiros da área. E ficamos convencidos de que não houve prejuízo ou risco que fosse oferecido à população das regiões de Paranoá e Itapoã, após o consumo da água", frisou Cristiano Araújo.

Kite Surf – A CDESCTMAT aprovou o Projeto de Lei nº 1.029/2016 de autoria do distrital Júlio César (PRB), que cria diretrizes para utilização do Lago Paranoá pelos desportistas de kite surf. O projeto prevê o estimulo a ações permanentes e articuladas entre entres públicos e privados voltados às delimitações das unidades de uso do Lago para a prática do esporte.

Os parlamentares presentes parabenizaram a iniciativa "o projeto complementa uma lacuna que ficou vaga desde desobstrução a orla do Lago Paranoá, trazendo regras para utilização e infraestrutura dos desportistas que praticam diversos esportes na área. Sempre há uma problemática quando se fala dessa utilização, pois temos lanchas, nadadores, praticantes de kite surf e outros no mesmo espaço e sem diretrizes", completou Cristiano Araújo.

Outros – A comissão deu anuência, ainda, para que outros 19 projetos fossem aprovados e conduzidos para plenário. Entre eles está o Projeto de Lei nº 1.109/2016 de autoria do Poder Executivo que determina medidas de diretrizes a serem adotadas para o reassentamento e reordenamentos compulsórios e involuntários em Áreas de Interesse Social (ARIS).

Fizeram parte do colegiado nesta reunião os parlamentares Cristiano Araújo (PSD), Chico Vigilante (PT), Raimundo Ribeiro (PPS) e Rodrigo Delmasso (PTN). 

Luana Pontes (estagiária) - Coordenadoria de Comunicação Social