Últimas Notícias Últimas Notícias

« Voltar

Dia Mundial da Alimentação expõe desafios para assegurar comida em quantidade e qualidade

Dia Mundial da Alimentação expõe desafios para assegurar comida em quantidade e qualidade

Sex, 18 Out 2019 17:29

Dia Mundial da Alimentação expõe desafios para assegurar comida em quantidade e qualidade

Dia Mundial da Alimentação expõe desafios para assegurar comida em quantidade e qualidade

Celebrado em 16 de outubro, o Dia Mundial da Alimentação foi comemorado em sessão solene da Câmara Legislativa nesta sexta-feira (18). No evento, representantes de órgãos ligados à produção e à distribuição de alimentos, bem como da área de segurança alimentar, ressaltaram desafios para assegurar comida em quantidade e qualidade para todos. O Banco de Alimentos – da Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa/DF), em parceria com produtores e o governo local – foi destacado como importante iniciativa em benefício de cidadãos em situação de vulnerabilidade social, alimentar e nutricional. O projeto abastece cerca de 130 instituições, como creches, orfanatos e asilos, atendendo aproximadamente 35 mil pessoas.

Presidindo a solenidade, o deputado Cláudio Abrantes (PDT) apontou diversos números sobre a fome no Brasil e no mundo. Ele citou, por exemplo, que no ano passado, 821 milhões de pessoas passaram fome no planeta, e cerca de 2 bilhões de pessoas não têm acesso regular a alimentos nutritivos suficientes. "São dados alarmantes e muito pesados. Esses números confirmam a necessidade de uma atuação constantes e emergencial", disse. Como exemplo de ação que contribui não apenas para reduzir a quantidade de pessoas que não têm o que comer, mas para possibilitar uma alimentação saudável, Abrantes enfatizou a relevância do Banco de Alimentos.

A nutricionista Lidiane Pires, diretora de Segurança Alimentar e Nutricional da Ceasa/DF, detalhou o funcionamento do projeto, elogiado várias vezes ao longo da solenidade. Os alimentos arrecadados e distribuídos vêm de três fontes: do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); do Programa Desperdício Zero da Ceasa, e da doação solidária. Ela ressaltou que o PAA beneficia tanto o agricultor como as entidades que recebem os produtos e lamentou que o programa esteja em risco, caso não sejam feitos novos aportes financeiros. Destacou ainda que, até setembro passado, o combate ao desperdício na Ceasa resultou em 230 toneladas de alimentos: "São produtos que deixaram de ser destinados ao aterro e foram direcionados à alimentação humana". Com relação à arrecadação proveniente de eventos esportivos e culturais, a diretora anunciou que o volume praticamente dobrou no último ano, de 67 toneladas para 130 toneladas.

Segundo o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz, todos os eventos realizados pela pasta ou em equipamentos públicos do DF, como o Estádio Mané Garrincha, estabelecem, como contrapartida, a doação de produtos para o Banco de Alimentos. Ele destacou que, apenas na Corrida de Reis, deste ano, foram arrecadadas 50 toneladas e, no jogo Flamengo x Vasco, foram 12 mil quilos.

Gustavo Chianca, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/Brasil), defendeu "políticas fortes e compromissos políticos" para assegurar alimentação saudável para todos e elogiou o Banco de Alimentos: "É um exemplo de progresso em direção a dietas saudáveis". Ele lembrou que o Dia Mundial da Alimentação foi instituído em referência à data de criação da FAO – 16 de outubro de 1945. E observou que o tema deste ano foi "Nossas ações são o futuro: dietas saudáveis para um mundo fome zero" e que o conceito "fome zero" envolve acesso "em quantidade e em qualidade". O representante da ONU apontou, ainda, que 2019 será o primeiro ano em que a quantidade de subnutridos será menor que a de pessoas com obesidade. "Dietas de baixa qualidade concorrem para o padecimento global de doenças e mortes prematuras", afirmou.

Produção de alimentos – "Temos um desafio gigantesco nesse planeta: alimentar quase 8 bilhões de pessoas com uma dieta equilibrada e alimentos de qualidade. No DF, não é diferente: são aproximadamente 3 milhões de pessoas e mais 1,5 milhão da Ride que precisam comer, ao menos, três vezes ao dia, com alimentos sem resíduos excessivos de agrotóxicos e contaminações biológicas", disse a presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater), Denise Fonseca. Em seu discurso, ela fez questão de lembrar do papel do agricultor: "É uma figura geralmente esquecida, que trabalha muito e que nem sempre é valorizado como merece, mas que é imprescindível nesse panorama".

Por sua vez, o superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rafael Bueno, associou a produção agrícola a crescimento, geração de renda e desenvolvimento regional, "pilares para o fortalecimento de qualquer sociedade". De acordo com ele, o Distrito Federal, mesmo tendo uma área pequena, detém recordes de produtividade, em especial de produção de grãos, com projeções de safra de 800 mil toneladas. "Percebemos, claramente, o interesse do produtor de alimentar a sociedade e contribuir para um abastecimento mais regular e com preços mais equânimes", salientou.

Também presente à solenidade, o secretário interino de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do DF, Luciano Mendes da Silva, concordou ser grande o desafio de produzir alimentos para uma população que só cresce. Ele ainda agregou à problemática a questão da gestão da água.

Denise Caputo
Fotos: Rinaldo Morelli/CLDF
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa