Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Saúde volta a ser tema de manifestações em plenário

Saúde volta a ser tema de manifestações em plenário

Ter, 23 Abr 2019 17:27

Saúde volta a ser tema de manifestações em plenário

Saúde volta a ser tema de manifestações em plenário

A sessão ordinária da Câmara Legislativa desta terça-feira (23) foi marcada por pronunciamentos sobre diversos assuntos. A saúde, mais uma vez, foi tema de manifestações. Diversos parlamentares usaram o microfone da tribuna para pontuar questões relativas ao cenário local e nacional.

O deputado Leandro Grass (Rede) lamentou a ruptura do DF com o programa federal Mais Médicos. Segundo relatou, a partir de conversa com integrantes do Conselho de Saúde do Gama, é grande a preocupação com a redução na quantidade de médicos que atendem a comunidade. Apenas naquela região administrativa, serão sete a menos, incluindo pediatras. Grass cobrou alternativas para contornar o problema, que atinge outras localidades do DF, além do Gama.

Já o deputado Jorge Vianna (Podemos) criticou a Portaria nº 272/2019, publicada na véspera do feriado de Páscoa. O texto estabelece regras para o atendimento da população em hospitais, postos de saúde e unidades de pronto-atendimento e estabelece punições. "A portaria é redundante, ‘chove no molhado', diz o que já consta em legislações locais e códigos de ética profissionais", salientou. Para o distrital, que é servidor de carreira da Secretaria de Saúde, os trabalhadores da área sabem o que deve ser feito e, se não o fazem, é muitas vezes por falta de condições: "Como vou fornecer um determinado medicamento se não tem rede? É óbvio que o paciente vai ficar insatisfeito. E será que o servidor tem de ser penalizado?", ilustrou.

Por sua vez, a deputada Arlete Sampaio (PT), que é médica, tratou da liberação do uso de mais de 100 agrotóxicos nos quase quatro meses do governo Bolsonaro. Ela citou mapa de contaminação da água com esses produtos, cujos níveis verificados estão acima dos aceitos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). "Nos próximos anos, veremos mais crianças adoecendo e mais pessoas com câncer", lamentou.

Denise Caputo
Fotos: Carlos Gandra
Núcleo de Jornalismo – (CCS/CLDF)