Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Incêndio no Museu Nacional repercute no plenário da CLDF

O incêndio no mais antigo museu do Brasil, o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, foi tema de pronunciamentos durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa nesta terça-feira (4). O deputado Wasny de Roure (PT) fez um longo discurso, no qual, além de lamentar a destruição de um acervo com mais de 20 milhões de itens, levantou questionamentos sobre a dimensão simbólica daquele espaço de produção de conhecimento e sobre a tragédia ocorrida.

"Quem somos, de onde viemos, para onde vamos? Essas três perguntas absolutamente essenciais para todo e qualquer agrupamento humano; eram elas que lá reverberavam incessantemente", disse Wasny. E completou: "Com a morte, por desleixo, inépcia ou o que quer que tenha sido, de um lugar assim, temos de nos perguntar se o que não morreu junto foi um verdadeiro e, ao mesmo tempo, singelo e concreto projeto de nação. E como foi que deixamos – todos nós – que acontecesse. E se é possível, dessas cinzas sagradas reerguer algo à altura".

O deputado Ricardo Vale (PT) também lamentou a destruição do Museu Nacional e a falta de investimentos que poderiam ter evitado que o incêndio ganhasse a dimensão alcançada. "Sou um dos parlamentares que mais apresenta emendas para a cultura, e muita gente critica. Veja o que aconteceu por falta de investimentos", afirmou.

Uber – Ainda na sessão desta tarde, Ricardo Vale levantou outro assunto: a precarização de trabalho dos motoristas do Uber. O distrital contou ter sido procurado por condutores que relataram estar pagando cerca de 40% das corridas realizadas para o aplicativo. "Quando voltamos o projeto que trata do serviço, eu fui contra. Na época, alertamos para a exploração dos motoristas, que passavam para o aplicativo 25% do que recebiam", apontou. "Eles não têm a quem reclamar, e trabalham sem qualquer garantia trabalhista", completou, dizendo que vai levar a situação ao Ministério Público do DF e Territórios.

Denise Caputo
Foto: Carlos Gandra/CLDF
Comunicação Social - Câmara Legislativa