Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Desmonte de políticas ambientais é alvo de debates em plenário

Desmonte de políticas ambientais é alvo de debates em plenário

Qua, 21 Ago 2019 18:49

Desmonte de políticas ambientais é alvo de debates em plenário

Desmonte de políticas ambientais é alvo de debates em plenário

O deputado Leandro Grass (Rede) aproveitou a sessão desta quarta-feira (21) para refletir sobre a situação das políticas socioambientais no Brasil e no DF. Para ele, vivemos um verdadeiro desmonte das políticas ambientais, com grandes cortes de recursos. "Fico muito intrigado que, em pleno século 21, depois de tanta pesquisa, de tanto amadurecimento, ainda há pessoas que se dizem inimigas do meio ambiente. Por que ainda há pessoas que defendem a destruição do bioma", indagou Grass, acrescentando que "a geração de riqueza não precisa destruir a vida".

No DF, segundo o deputado, o orçamento da área ambiental, incluindo todos os órgãos, corresponde a R$ 22 milhões, apenas 0,07%. Ele defendeu que os distritais incluam o meio ambiente em suas proposições legislativas e emendas parlamentares. "Preservar a natureza, preservar a vida é preservar nossa própria existência", finalizou, sendo acompanhando por outros parlamentares que também trataram do tema.

A deputada Arlete Sampaio (PT), por exemplo, observou que fuligem proveniente da Amazônia, foi encontrada em São Paulo, na última segunda-feira, quando a chuva junto com a fumaça escureceu a cidade no meio da tarde. "E vem o presidente da república dizer que é culpa das ONGs", comentou, assinalando que o governo federal, ao mesmo tempo, tem estimulado a atividade de grileiros e outros que querem explorar terras indígenas. Ela disse não entender as razões pelas quais "o País ainda não se levantou, enquanto o presidente esnoba e isola o Brasil".

Na opinião do deputado Fábio Felix (PSol), "temos, neste momento, o pior ministro do Meio Ambiente de toda a história brasileira". O parlamentar salientou que, além de organizações não-governamentais e outras instituições, o governo federal tem desrespeitado os setores científicos que fazem alertas sobre a situação, além dos povos indígenas originários do nosso País. "Não podemos achar normal o que o presidente fala", lamentou, conclamando seus colegas e a comunidade a se unirem em defesa da Amazônia, que será tema de ato público nos próximos dias.

Marco Túlio Alencar e Luís Cláudio Alves
Foto: Figueiredo/CLDF
Núcleo de Jornalismo - Câmara Legislativa