Mais lidas Mais lidas

« Voltar

CLDF comemora o Dia do Cerrado e destaca necessidade de preservação

CLDF comemora o Dia do Cerrado e destaca necessidade de preservação

Ter, 11 Set 2018 14:17

Segundo maior bioma da América do Sul, ocupando uma área de mais de 20% do território nacional, o Cerrado – apesar da reconhecida biodiversidade e de abrigar as nascentes das maiores bacias hidrográficas do país – sofre com as queimadas e a diminuição do volume dos seus aquíferos. Estes e outros problemas foram destacados durante sessão solene da Câmara Legislativa do DF que comemorou, nesta terça-feira (11), o Dia do Cerrado.

A deputada Telma Rufino (Pros) foi autora do requerimento para a realização da solenidade e declarou sua preocupação com a preservação do ecossistema. De acordo com a parlamentar, é necessário investir na conscientização e na fiscalização visando à preservação do bioma. "No último ano sentimos de perto as consequências de um uso descontrolado da água e tivemos que passar por longos meses de racionamento. Espero que tenhamos aprendido a lição", afirmou.

Participaram do evento ambientalistas e representantes de órgãos governamentais. O secretário de Meio Ambiente do DF, Felipe Fernandes, relatou as ações da pasta com vistas à proteção do cerrado. "Se pegarmos os resultados que foram encontrados nos últimos anos, percebe-se que tudo foi feito por trabalho em conjunto, não é trabalho de uma pessoa ou um órgão só, mas sim da população como um todo, entendendo que o meio ambiente deve ser preservado pelas pessoas", declarou. Por sua vez, o chefe da unidade de conservação da APA do planalto central e representante do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Mauricio Laxe, trouxe para a solenidade a história da conquista da data que foi escolhida em homenagem ao grande ambientalista Ari Para Raios.

O presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (COFEA), Joel Kuger, enfatizou que o Dia do Cerrado relembra a necessidade do trabalho de conservação e deixou claro que "a questão ambiental é um direito de todos, mas antes disso é uma obrigação de todos".

Ao final da sessão solene foram entregues moções, aprovadas pela CLDF, a pessoas que prestaram relevantes serviços à área ambiental. Também estiveram representadas, no evento, a Federação Nacional das Associações de Engenharia Ambiental e sanitária (FNEAS), a Associação dos Servidores do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal (ASIBRAM), a Associação dos Engenheiros Florestais do Distrito Federal, a Associação dos Auditores Fiscais de Controle Ambiental do Distrito Federal (AFICAM/DF) e a Universidade de Brasília (UnB).

Karine Teles (Estagiária)
Foto: Carlos Gandra
Comunicação Social – Câmara Legislativa