Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Câmara celebra o aniversário do Hemocentro

Câmara celebra o aniversário do Hemocentro

Ter, 19 Nov 2019 14:47

Câmara celebra o aniversário do Hemocentro

Câmara celebra o aniversário do Hemocentro

A Câmara Legislativa do Distrito Federal homenageou a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) em uma sessão solene nesta terça-feira (19). A Fundação comemora seus 41 anos na próxima segunda-feira (25), mesma data do Dia Nacional do Doador de Sangue. O evento foi iniciativa do deputado Jorge Vianna (Podemos), que já atuou na área da saúde como técnico de enfermagem.

Para iniciar sua fala, Vianna contou sobre uma ocasião em que foi procurado, em seu gabinete, por uma mulher em busca de um doador de medula óssea. Segundo ele, foi nesse momento que entendeu a responsabilidade que um parlamentar possui. Ao recordar suas experiências prévias como técnico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) falou sobre a extrema importância que a instituição desempenha em diversos tipos de tratamento médico, sobretudo emergenciais.

A diretora presidente do órgão, Bárbara de Jesus Simões, expôs dados sobre as competências, funcionamento e atuação da entidade. A FHB é responsável por toda a área do DF na Rede Nacional de Serviços de Hematologia e Hemoterapia (Hemorrede) e é responsável pelo processamento e preservação de células sanguíneas e de medula para os transplantes realizados pelo SUS no DF, por isso conta com o único laboratório de imunologia de transplante da cidade, que realiza exames essenciais para a execução desse tipo de procedimento. Atualmente, conseguem atender 100% dos leitos do SUS.

De acordo com Simões, aproximadamente 2% da população brasiliense, cerca de 60 mil pessoas doa sangue. O perfil delas e dos multiplicadores, pessoas que mobilizam ações de doação, é o de que: 58% são homens, 70% tem idade entre 18 e 39 anos e a maioria vem de regiões administrativas. Ao todo foram feitas 2115 doações em 2018. Além de aumentar esse número, a principal meta da instituição é aumentar também o número de doadores fidelizados, os que vão à FHB ao menos duas vezes por ano. Hoje em dia, representam mais de 40% dos doadores, porém, até 2023 o objetivo é alcançar ao menos 45%.

A diretora também lembrou que jovens de 16 e 17 anos, autorizados pelos responsáveis, podem realizar essa ação. Esse grupo representava, em 2017, em torno de 1% dos doadores, mas agora são quase 3%. Esse aumento, na opinião de Simões, ocorre graças ao programa Doador do Futuro, em que palestras são feitas em escolas, das redes pública e privada, e alunos são levados até o Hemocentro para conhecer as instalações e são encorajados a fazer o procedimento.

Ao final da solenidade, Vianna explicou que uma das causas do baixo estoque de sangue é a especificidade das regras da entidade, não podem ser feitas doações demais em um mesmo período e a triagem de interessados é altamente rigorosa, contudo reforçou que essas medidas de segurança não devem desencorajar a população de realizar esse ato de altruismo.

Na sessão, também estavam presentes Marcelo Jorge Carneiro, representante do secretário de Saúde, Osney Okimoto, Luiz Gonzaga Viana Filho, general de Brigada do Exército, Emilson Ferreira, Coronel Comandante Geral do Corpo Militar de Bombeiros do DF e Elizângela da Silva Faria representante da Igreja Adventista do Sétimo Dia, organizações parceiras do Hemocentro, e Aluízio Lopes Braga, professor que participou do projeto Doador do Futuro.

Victor Cesar Borges (estagiário)
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa