Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Audiência pública discute nome de Joaquim Roriz para Praça Cívica da CLDF

Audiência pública discute nome de Joaquim Roriz para Praça Cívica da CLDF

Ter, 01 Out 2019 18:18

Audiência pública discute nome de Joaquim Roriz para Praça Cívica da CLDF

Audiência pública discute nome de Joaquim Roriz para Praça Cívica da CLDF

A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou na manhã desta terça-feira (1) audiência pública para discutir proposta de dar o nome do ex-governador Joaquim Roriz, falecido no ano passado, à Praça Cívica da Câmara Legislativa do Distrito Federal. A iniciativa partiu do deputado Robério Negreiros (PSD), autor de projeto de resolução que propõe a homenagem ao ex-governador. A realização da audiência pública é uma exigência da legislação. O distrital informou que agora vai solicitar à Mesa Diretora que coloque o projeto em votação.

Robério Negreiros disse que a realização da audiência é uma demonstração clara da nova democracia, na qual é cada vez mais frequente que os poderes públicos consultem a sociedade. Para Negreiros, a iniciativa é uma "modesta homenagem a um dos maiores expoentes da política brasiliense, uma deferência a um dos maiores desenvolvedores socioeconômicos do DF". O deputado destacou ainda os cargos ocupados por Roriz e alguns dos seus feitos e ressaltou que sua maior marca era o vínculo direto com o povo.

Na opinião do subsecretário de Ações Comunitárias do GDF, Joaquim Roriz Neto, seu avô, além dos grandes feitos, também não será esquecido por causa do grande coração. "O que mais importa é o impacto das ações dele na vida das pessoas", completou.

O diretor da Associação Comercial do DF, jornalista Luís Solano, lembrou que quando Roriz propôs a criação de Samambaia e de outras cidades foi duramente criticado, mas hoje suas realizações falam por si. "Toda homenagem que se presta a Roriz é pouca, diante de tudo que ele representa", resumiu ele.

O radialista e sobrinho do ex-governador, Luiz André Roriz Solano, afirmou que Roriz jamais será esquecido por conta do seu legado e das obras que deixou para o DF. "Se hoje milhares de pessoas tem onde morar, foi porque Roriz teve coragem de dar moradia a estas pessoas. Se hoje temos o Metrô e a ponte JK, foi por causa da coragem e do trabalho de Joaquim Roriz", assinalou, acrescentando que "vai ser difícil o DF ter algum outro governador que se compare a Roriz".

Para o diretor da Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco), Raimundo Mesquita, o ex-governador era uma pessoa que sempre se preocupava em ajudar os mais pobres. "Tudo importante nesta cidade foi feito por Roriz, portanto esta é uma homenagem justa".

Já o superintendente do Arquivo público, Thales Mendes Ferreira, acredita que não tem como se em Brasília, sem mencionar os nomes de JK e de Joaquim Roriz. Para ele, os dois se destacaram pela garra, determinação e o acolhimento das pessoas.

A presidente do Conselho Curador e secretaria executiva da segunda secretaria da CLDF, Jane Marrocos, disse que a população do DF merecia que o nome do ex-governador tivesse seu nome lembrado às margens do Eixo Monumental.

O deputado Daniel de Castro (PSC) assinalou que Roriz deixou legados indiscutíveis em nossa cidade e implementou um modelo de administração pública que contava com o calor do povo.

A audiência pública contou ainda com a participação de populares, que ocuparam a tribuna para defender a história de Joaquim Roriz e agradecer por seus feitos. Durantes as participações foram sugeridas a criação do Memorial Joaquim Roriz na capital, uma exposição de fotografias e documentos sobre sua trajetória e colocação de um busto do ex-governador na Praça Cívica.

A Praça - A Praça Cívica do Poder Legislativo foi inaugurada no dia 30 de maio de 2018, às margens do Eixo Monumental, com o hasteamento das bandeiras do Brasil, do Mercosul, do Distrito Federal e da Câmara Legislativa. A Praça compõe a área da sede da Câmara Legislativa, instalada no complexo urbanístico do Eixo Monumental de Brasília, e respeita as diretrizes de áreas tombadas, uma vez que o projeto urbanístico de Lúcio Costa é patrimônio cultural da humanidade. Por conta disso, o projeto básico da praça cívica precisou da anuência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que zela pela manutenção do plano urbanístico da Capital.

Joaquim Roriz - O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz morreu no dia 27 de setembro de 2018, aos 82 anos, após um choque séptico decorrente de complicações de infecção pulmonar. Roriz nasceu em 4 de agosto de 1936, em Luziânia (GO), e iniciou a carreira política na cidade goiana, onde foi vereador. Depois foi eleito deputado estadual (1978), deputado federal (1982), vice-governador do estado de Goiás (1986) e prefeito interventor de Goiânia.

Iniciou sua trajetória no DF em 1988 como governador do Distrito Federal, indicado pelo então presidente do país, José Sarney. Na época, o DF não tinha o direito de eleger seu governador pelo voto direto. Ele permaneceu no cargo até março de 1990, quando assumiu o Ministério da Agricultura no governo de Fernando Collor.

Roriz voltou ao Palácio do Buriti em março de 1991, como o primeiro governador eleito da nova capital. Também foi eleito governador do DF em 1998 e 2002 e senador.

Luís Cláudio Alves
Fotos: Silvio Abdon/CLDF
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa