Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Audiência busca soluções para inclusão de pessoas com deficiência

Audiência busca soluções para inclusão de pessoas com deficiência

Ter, 23 Abr 2019 20:58

Audiência busca soluções para inclusão de pessoas com deficiência

Audiência busca soluções para inclusão de pessoas com deficiência

A inclusão da pessoa com deficiência é um tema que tem se difundido na sociedade brasileira. Com o intuito de procurar soluções mais eficazes aos problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência, a Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou na manhã desta terça-feira (23) audiência pública no plenário da Casa.

De iniciativa do deputado Iolando Almeida (PSC), o evento, em formato de fórum, contou com a presença de representantes de diversas secretarias, pois, de acordo com o deputado, as "demandas encaminhadas devem ser resolvidas pelos órgãos responsáveis". A audiência discutiu políticas públicas para a garantia dos direitos já conquistados por essa parte da população a partir da Lei Brasileira de Inclusão.

A audiência pública foi além dos frequentes debates sobre acessibilidade e vagas no mercado de trabalho. Os pronunciamentos abordaram pontos como: a capacitação das pessoas com deficiência, já que a tendência do mercado é oferecer subempregos para essas pessoas; habilitar a saúde, a educação e a segurança pública para incluí-las; e incentivá-las para conhecerem seus direitos. "O dever de casa hoje é conhecer nossos direitos", disse a ex-deputada federal alagoana Rosinha da ADEFAL.

As maiores demandas do fórum foram relacionadas a quatro eixos - acessibilidade, empregabilidade, inclusão e saúde. Ludmila Reis, procuradora do trabalho falou sobre o cumprimento da reserva de postos de trabalho e empregos públicos e disse que "as pessoas com deficiência são absurdamente discriminadas pelo próprio governo, pois a maioria das empresas que tem que cumprir a cota são prestadoras de serviço, e 90% da prestação desses serviços é para o GDF". 

No segundo bloco do fórum, em que os participantes se inscreveram para fazer perguntas, foi perceptível a indignação por parte de alguns. Uma das pessoas presentes disse que não compareceria mais a audiências, porque tudo debatido ficava "só na conversa" inclusive os "sinais sonoros nos semáforos que não funcionam desde 2015". O deputado Iolando concordou com o participante e disse que sua fala representava "a fala de todos ali presentes".

Karine Teles (estagiária)
Foto: Silvio Abdon/CLDF
Núcleo Jornalismo – Câmara Legislativa