Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Artigo - Corte no Orçamento da FAP-DF prejudicará pesquisas

Artigo - Corte no Orçamento da FAP-DF prejudicará pesquisas

Ter, 12 Nov 2019 18:58
Em artigo, a deputada Júlia Lucy comenta a Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 18/2019, que propõe a redução da receita líquida da FAP-DF de 2% para 0,3%. A deputada questiona a lógica do GDF de reduzir o investimento em tecnologia em vez de apurar os motivos da baixa execução orçamentária da FAP.

Artigo - Corte no Orçamento da FAP-DF prejudicará pesquisas

Em artigo, a deputada Júlia Lucy comenta a Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 18/2019, que propõe a redução da receita líquida da FAP-DF de 2% para 0,3%. A deputada questiona a lógica do GDF de reduzir o investimento em tecnologia em vez de apurar os motivos da baixa execução orçamentária da FAP.

A Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF), entidade vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, tem como finalidade desenvolver projetos e apoiar estudos inovadores.

Todo esse trabalho, otimizado pela Fundação, corre sério risco de cair por terra, uma vez que o GDF pretende reduzir o volume de recursos destinados para a FAP-DF.

O Executivo encaminhou à Câmara Legislativa (CLDF), no dia 23 de outubro de 2019, o Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 18/2019 que propõe a redução da receita líquida da FAP-DF de 2% para 0,3%.

A justificativa é de que a Fundação não tem executado bem o orçamento recebido. Mas, ora, então deveríamos descobrir o porquê disso e encontrar soluções para melhorar a eficiência do órgão. Não simplesmente desistir do investimento em tecnologia.

O corte corresponde a uma redução de 81% no orçamento da FAP-DF, o que prejudicaria todo o cronograma de projetos em andamento.

Segundo esclarecimentos da Secretaria de Economia, a redução desses percentuais representa uma queda de R$ 366.353.338 para R$ 69.019,353 em 2019.

Diante do exposto, estamos mobilizando parcerias e, principalmente, a bancada de parlamentares do DF para obstruir o avanço do projeto do GDF.

É importante salientar que, há tempos, o Distrito Federal precisa se livrar da dependência do funcionalismo público para gerir sua economia, criando assim, novas frentes de trabalho, visando o empreendedorismo advindo dos projetos apoiados e fomentados pela FAP-DF.

Agora, não é admissível que se proponha corte no orçamento da FAP-DF enquanto o governador Ibaneis Rocha (MDB) promete tablets para 56 mil alunos do 1º ano da rede pública. Sendo que o custo dessa possível aquisição ainda não foi divulgado.

* Deputada Distrital Júlia Lucy (NOVO)