Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Aprovação de reforma da previdência repercute entre distritais

Aprovação de reforma da previdência repercute entre distritais

Qua, 02 Out 2019 19:16

Aprovação de reforma da previdência repercute entre distritais

Aprovação de reforma da previdência repercute entre distritais

Um dos assuntos mais comentados pelos deputados distritais na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta quarta-feira (2) foi aprovação no Senado Federal da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da previdência. Vários deputados utilizam a tribuna para tratar do assunto e criticar a proposta.

O deputado Agaciel Maia (PL) comemorou a aprovação de um destaque que evitou a redução do abono salarial. Para ele, o abono é muito importante, especialmente para as pessoas que mais precisam. Maia contestou as afirmações de que a reforma da previdência resolverá os problemas da economia brasileira. Para ele, estas afirmações são falsas, pois existem outros problemas mais graves, como a dívida interna e até mesmo os devedores da previdência. "Esta reforma só atrapalha a vida dos trabalhadores mais humildes. Ontem houve um pequeno avanço com a preservação do abono", completou.

Já a deputada Arlete Sampaio (PT) criticou os dois senadores do DF que votaram a favor da reforma, Reguffe (Podemos) e Izalci Lucas (PSDB). Da bancada local, apenas a senadora Leila Barros (PSB) votou contra a proposta. Na opinião da distrital, a reforma não resolve nenhum problema do Brasil, que, segundo ela, "se situa no pagamento de juros da dívida interna". "Temos uma economia e um governo que trabalha para os rentistas. Prova disso é que mesmo com a aprovação no Senado, a bolsa caiu", concluiu.

O deputado Chico Vigilante (PT) classificou a reforma previdenciária como "maldita". O deputado lamentou que vários trabalhadores de algumas categorias, como os vigilantes, perderão o direito à periculosidade com a reforma. Segundo ele, o senador Paulo Paim (PT-RS) quase conseguiu aprovar um destaque mantendo o benefício. A ideia agora é tentar restabelecer a periculosidade na chamada PEC paralela. Vigilante elogiou a senadora Leila Barros pelo voto contrário à reforma.

O deputado Fábio Felix (PSOL) reforçou o coro e criticou os senadores do DF que votaram a reforma da previdência, especialmente o voto do senador Reguffe.

Cortes – A deputada Arlete também destacou sua participação em ato político na UnB para discutir o corte de verbas na educação, ciência e tecnologia, assunto já discutido em audiência pública na CLDF. "Um governo que despreza a educação e que tem como objetivo o desmonte das universidades brasileiras não contribui para que o Brasil se transforme numa potência", justificou.

LGBT – Ainda nesta quarta-feira, o deputado Fábio Felix informou que a deputada estadual do Rio Grande do Sul Luciana Genro estará amanhã na Câmara Legislativa, a partir das 16h, na sala da Escola do Legislativo, para apresentar um relatório sobre violência contra população LGBT. O relatório foi elaborado por uma comissão especial da Assembleia do RS presidida por ela.

Luís Cláudio Alves
Fotos: Figueiredo/CLDF
Núcleo de Jornalismo – Câmara Legislativa