Últimas Notícias Últimas Notícias

Comissão aprova recondução de João Carlos Teixeira ao cargo de ouvidor da Adasa

Comissão aprova recondução de João Carlos Teixeira ao cargo de ouvidor da Adasa

Qua, 04 Out 2017 16:03

Comissão aprova recondução de João Carlos Teixeira ao cargo de ouvidor da Adasa

Comissão aprova recondução de João Carlos Teixeira ao cargo de ouvidor da Adasa

Em audiência pública realizada nesta quarta-feira (4), a comissão de Meio Ambiente da Câmara Legislativa aprovou a recondução de João Carlos Teixeira ao cargo de ouvidor da agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), com mandato de dois anos.

O presidente da comissão, deputado Bispo Renato Andrade (PR), questionou o ouvidor da Adasa sobre as medidas adotadas pela agência para enfrentamento da crise hídrica que afeta Distrito Federal nos últimos anos e sobre as críticas dos ambientalistas quanto à captação emergencial de água do lago Paranoá.

Teixeira explicou que, em razão da mudança climática, estão ocorrendo crises hídricas em todo o mundo. No caso do Distrito Federal, segundo ele, não se imaginava até pouco tempo que a população fosse afetada por um período tão acentuado de seca. Em razão disso, a agência tem procurado colocar em prática programas voltados para a conscientização da população sobre o uso consciente da água e redução do consumo, além de projetos de educação ambiental nas escolas, que incluem premiações em concursos de redação sobre temas ligados à água.

Fórum - Com relação ao Fórum Mundial da Água, que acontecerá em Brasília, em março de 2018, João Carlos Teixeira, disse que a Adasa tem buscado incentivar a participação da população no evento, para o qual estão sendo aguardadas 35 mil pessoas. Segundo ele, a agência tem feito contatos com especialistas e representantes de diversos segmentos ligados ao tema, incluindo os deputados distritais, para troca de informações e busca de soluções quanto às questões que envolvem a escassez de água.

Aproveitando a presença de Teixeira e de representantes do governo na Câmara Legislativa, o deputado Bispo Renato sugeriu ao Executivo que promova, o quanto antes, a regularização dos condomínios, medida que, de acordo com ele, servirá para reduzir o desperdício de água por meio do combate às ligações clandestinas. Por outro lado, pediu o fim da política de demolição de moradias em áreas irregulares e a implantação de ações preventivas e eficazes para evitar, com a devida antecedência, a proliferação de invasões de terras públicas, que tanto impacto têm trazido no que diz respeito ao abastecimento de água e à arrecadação de taxas pelo governo.

O relator da Comissão de Meio Ambiente, deputado Cristiano Araújo (PSD), afirmou que a Adasa tem uma missão muito importante no auge da crise hídrica que afeta todo o DF, uma vez que água é "vital" para a população, assim como saúde e educação. Colocou-se à disposição da agência na busca de soluções para amenizar os efeitos da crise hídrica em Brasília.

Os deputados Chico Leite (Rede) e Juarezão (PSB) também elogiaram a atuação de João Carlos Teixeira à frente da Ouvidoria da Adasa e se colocaram à disposição da agência para o enfrentamento dos problemas ligados à escassez de água no DF.

Abastecimento - Os principais reservatórios que abastecem hidricamente o Distrito Federal fecharam o mês de setembro acima da meta prevista. Mesmo registrando os piores níveis da história, Descoberto encerrou o mês com 17,4% - a previsão era de 14% -, enquanto Santa Maria registrou 29,2%, acima dos 26% tido como nível mínimo aceitável no período. As previsões foram feitas pela Curva de Acompanhamento da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa).

Outro alívio à crise hídrica foi entregue na segunda-feira (2), quando o GDF do inaugurou a captação emergencial de água do Lago Paranoá. Após cinco meses de trabalho, o subsistema entregará até 700 litros de água por segundo, utilizados para abastecer Lago Norte, Paranoá, Itapoã, Taquari.

Mesmo com essas ações, A Caesb afirma que a situação ainda não é confortável. Para o fim de outubro, a meta da Adasa é manter os reservatórios do Descoberto e de Santa Maria acima de 9% e 23%, respectivamente. 

José Coury Neto - Coordenadoria de Comunicação Social