Últimas Notícias Últimas Notícias

« Voltar

Câmara em Movimento vai ao Itapoã ouvir a comunidade

Câmara em Movimento vai ao Itapoã ouvir a comunidade

Sex, 11 Ago 2017 15:53

Câmara em Movimento vai ao Itapoã ouvir a comunidade

Câmara em Movimento vai ao Itapoã ouvir a comunidade

A região administrativa do Itapoã recebeu, na tarde desta quinta-feira (10), a Câmara Legislativa do Distrito Federal no ginásio de esportes da cidade. Os deputados distritais foram dialogar com os moradores para ouvir as suas principais reivindicações e apresentar iniciativas que ajudem na solução dos problemas. A iniciativa faz parte do programa "Câmara em Movimento", que está percorrendo todas as áreas do DF.

"Durante os próximos seis meses, vamos acompanhar de perto tudo o que será feito para atender as prioridades do Itapoã", explicou o presidente da CLDF, deputado Joe Valle (PDT), ao abrir a sessão plenária. Há duas semanas, lideranças da cidade participaram de uma oficina técnica na qual elencaram as principais demandas da comunidade, que incluem a regularização de áreas de invasão, a pavimentação asfáltica, a definição de área para pequenas indústrias e serviços, e a construção de creches, de uma Casa de Cultura e de um centro de ensino médio, entre outras.

Representando a Quadra 318, Silmara Dias dos Reis contou as dificuldades da região. "Estamos há seis anos no local, mas não temos acesso a serviços básicos, como água e energia elétrica", reclamou. Os moradores também denunciaram estar sendo vítimas de incêndios criminosos, que já queimaram moradias na área ocupada.

Duplicação - Outro problema relatado é o acesso à cidade, por isso os moradores reivindicam a duplicação das rodovias que passam pela localidade, além da construção de um viaduto entre o Paranoá e o Itapoã, o que facilitaria o trânsito. "Se nada for feito, não será possível a locomoção na nossa cidade", alertou Raimundo Paz.

O professor José Moreira Portela observou que a população do Itapoã é de aproximadamente 100 mil pessoas e que não há uma escola de ensino médio. "Os estudantes precisam se deslocar, mas os centros de ensino de cidades próximas não comportam mais alunos, por isso é imprescindível a construção de um estabelecimento de ensino médio na cidade", argumentou.

A segurança pública também foi tema das reivindicações dos moradores. Representantes de organizações da sociedade civil que integram o Conselho de Segurança da cidade relataram problemas causados pela falta de investimentos. Além disso, solicitaram a reintegração da área do Parque Ecológico Semente do Itapoã, que não possui equipamentos públicos para receber estudantes e a comunidade em geral, e que tem partes invadidas, colocando em risco nascentes localizadas no interior da zona de preservação.

Deliomar Araújo tratou da necessidade de demarcar os limites geográficos do Itapoã antes mesmo da publicação da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). "Precisamos urgentemente que sejam definidos a poligonal da cidade e seu mapa urbanístico, pois, sem isso, não teremos como construir equipamentos públicos, como creches, por exemplo", afirmou.

Marco Túlio Lustosa de Alencar