Mais lidas Mais lidas

« Voltar

Veras manda recado a governador e diz que não aceitará intimidação

Veras manda recado a governador e diz que não aceitará intimidação

Qui, 14 Set 2017 16:25

O deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) mandou um recado ao governador Rodrigo Rollemberg, durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa desta quinta-feira (14), e disse que não aceitará intimidação. "Não sou homem de mandar recados, mas diante dos fatos recentes, gostaria de mandar um recado: governador Rodrigo Rollemberg, gosto de você e tenho admiração por você, mas isto não significa que eu precise concordar com tudo que você faz", disparou.

Veras disse que não se intimidará com pressão de ninguém e sugeriu temperança ao governador. As declarações são em resposta a entrevistas concedidas por Rollemberg nos últimos dias, nas quais afirmou que demitiu cargos comissionados indicados pelo distrital e por seu partido, o PDT, por causa do posicionamento contrário ao projeto do Executivo que reestrutura a previdência dos servidores públicos do DF.

Na opinião de Veras, o comportamento do governador é vergonhoso e destoa completamente das promessas de campanha, quando Rollemberg afirmava que governaria com um novo modelo de política. Segundo Veras, o governador agora admite claramente que troca votos por cargos, "uma atitude condenável".

O deputado Chico Vigilante (PT) também criticou o comportamento do governador, que considerou desastroso. Vigilante condenou os ataques do governador ao movimento sindical, segundo ele, sem nenhum fundamento, e desconsiderando que os votos dos sindicalistas ajudaram a eleger Rollemberg para vários mandatos. "Todos nós aqui queremos encontrar uma saída, não para Rollemberg, mas para Brasília', completou.

O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), se solidarizou com o colega de partido e destacou que o PDT trabalha para buscar soluções e não criar problemas. Valle argumentou que o problema da previdência do DF é crônico e não será resolvido com a proposta original do governo. Segundo ele, após ouvir especialistas e sindicalistas, um substitutivo está sendo elaborado para dar tranquilidade aos servidores e ao caixa do GDF.

Valle explicou que será uma solução técnica que terá o apoio do mundo político, "sem forçar a barra". Para ele, o Legislativo tem que se debruçar sobre outras soluções, com a dívida ativa, que hoje é estimada em R$ 27 bilhões.

Luís Cláudio Alves
Foto: Carlos Gandra
Comunicação Social - Câmara Legislativa